Conteúdos Conceituais e Inserção de Tecnologias ao Currículo em tempos de Pandemia

                                                Celso Antunes

Li a pouco uma postagem em rede social, do querido Celso Antunes, que nos fala da importância desse momento que vivemos para olharmos atentamente aos conteúdos conceituais pós pandemia.

Pois é, ele mesmo discorre sobre o volume imensurável de conteúdo e informação que a era do conhecimento nos traz em função da revolução tecnológica. Salienta, ainda, em suas palavras: 
...Transfira agora esse percurso e descubra que uma pandemia terrível, amarga, triste, lamentável e inesquecível pode nos obrigar a mudar nosso currículo conceitual e, substituir o que na Internet se busca, por outro currículo que exalte o aprender a aprender, o bom relacionamento com as pessoas, o transformar o saber em "fazer" e assim... SER MAIS.

Por falar em tecnologia, muito se tem falado sobre seu uso durante e depois a pandemia. Muito do que tenho dito há mais de 12 anos, faz-se extremamente de urgência, nesse contexto.

Lembremos que Tecnologia é ferramenta, e discurso de que ela sozinha dá conta da educação de crianças, jovens e adultos, docentes, ou não, é fiasco.

As Tecnologias de Interação e Comunicação surgiram tanto para aproximar, fazer aprender, buscar conhecimento, antes enciclopédico, além de atender aos outros 3 Pilares da Educação para o Século XXI, de Jacques Delors, os 7 Saberes Necessários para a Educação, de Morin. E apesar, do uso das tecnologias, virtuais, hardwares, softwares, redes e plataformas, pensemos na humanização da pedagogia Waldorf, de Rudolf Steiner, de olhar para a Educação para a inclusão de Montessori, da democracia na escola, do tateio, da livre-expressão e da comunicação de saberes construídos de Freinet. Do protagonismo juvenil, da aprendizagem em comunidade, de Pacheco, da formação do professor em serviço com seus pares, de Nóvoa, da aprendizagem interativista, baseada em Maturana, em desenvolvimento por Franco, lembremos da nova plasticidade cerebral oriunda da atual revolução tecnológica, de Nepomuceno, lembremos dos desafios da Cibercultura de Lévy Pierre. Entre tantas teorias de Moran, Almeida, Prado, Coutinho e Valente, Schlünzen, Kenski, e muitos outros caros estudiosos e pensadores do assunto.

Lutemos antes pela democratização do acesso à tecnologia, à inclusão digital de todos.

As TICs não podem ser mais do mesmo ou reprodutora da educação bancária debatida por Paulo Freire. 

Se antes, a passos miúdos, pensávamos em como inserir a tecnologia ao currículo, a pandemia nos faz adentrar em um novo universo disruptivo, que urge, fazendo-nos acelerar o passo, mas com cuidado para não cair em falácias de empresários, que na verdade só querem o dinheiro suado da população para vender aquilo que não se faz necessário, a não ser para encher os olhos de alguns e, que de profícuo, muito pouco pode garantir em eficiência, se queremos uma educação de verdadeira qualidade e integral.


Daniele Júlia Nascimento Martí


Professora de Ensino Fundamental e Ed. Infantil, há 22 anos,atuando como docente em Escola em Tempo Integral em Itupeva/ SP. 
Pedagoga (PUC/ SP)
Especialista em Gestão de Instituições Educacionais (UNICOC) e em Especialista em Tecnologias Educacionais (PUC/Rio)
Fui Coordenadora Pedagógica de Educação Infantil e Ensino Fundamental de escolas municipais (rurais e urbanas).
Fui Tutora Pedagógica Especialista em Curso de Licenciatura em Pedagogia (pela Unicoc) Coordenadora e Formadora de Programa de Formação de Professores em Tecnologias Educacionais, que abrange a dimensão de formação, fornecimento de equipamentos e materiais digitais - Proinfo Integrado da SEED/ MEC - governo federal do Brasil (de 2008 a 2011), Coordenadora na Implantação de Sistema de Gestão - Planeta Educação - Future Kids - Vitae (Coordenei a implantação do sistema, sua alimentação e manutenção, emissão de boletins e históricos, de junho de 2009 a maio de 2010, na rede municipal de Itupeva, quando o contrato foi rescindido, liderando pessoal de apoio administrativo em 26 escolas municipais), além de cuidar da manutenção com informações, curiosidades e matérias relacionadas à educação no site da Diretoria de Educação de Itupeva/SP, neste mesmo período. Assessoria Pedagógica, Administrativa e Tecnológica em montagem de escolas e creches desde o esboço do projeto até sua implantação, e acompanhamento nas diversas dimensões da Gestão Educacional. Foi Membro da Diretoria Executiva e Coordenadora de Tecnologias Educacionais da Abrapee Nacional e Estadual de SP. Foi Diretora de Escola Municipal de Tempo Integral e como Assistente Técnico Pedagógico de Escola de Governo Municipal.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A importância de transformar uma cidade em Cidade Inteligente

A Educação que queremos surgirá no pós pandemia

O Desafio da Formação Continuada